Fortaleza, fortitude, fortress | 2011



Nesta obra procuro transcrever, entre escritos e desenhos, a surpresa que causou o comentário da minha mãe sobre o seu envelhecimento, e o sentimento de “não se sentir mais a fortaleza que sempre acreditou ser”.

  • velhas folhas de papel, nanquim branco, alfinete de costura
  • 297 x 420 cm
  • EXPOSIÇÕES: “Migalhas da infância”, Marsden Woo Gallery, Londres, Inglaterra

Fotografia: Philip Sayer