A memória é a costureira, e costureira caprichosa. A memória faz a sua agulha correr para dentro e para fora, para cima e para baixo, para cá e para lá. Não sabemos o que vem em seguida, o que virá depois | 2007



Iniciais bordadas enchem gavetas e recobrem a veste de mulher, ocupando o quarto principal da casa museu, já carregado de histórias que se desdobram nos seus espelhos. A veste foi idealizada a partir de uma coleção de iniciais que eu tenho, e executada em parceria com as artesãs de uma cooperativa na Rocinha.

  • iniciais bordadas sobre veste em algodão
  • 150 x 50 cm
  • EXPOSIÇÕES: “Amor”, Casa Museu de Benjamin Constant, Rio de Janeiro, Brasil

Fotografia: Cláudia Elias