Não sei como consegui viver todos esses anos sem você | 2010



Com esta obra trago à memória a casa da minha infância, no Recife: os azulejos ibéricos, presentes na moderna arquitetura brasileira; e as cadeiras populares, com seu balançar-se em varandas e calçadas, entre familiares e amigos.

  • transferência por carbono, papel oriental
  • 75 x 300 cm
  • EXPOSIÇÕES: “Casa Forte”, Centro Cultural Banco do Nordeste, Sousa (PB), Fortaleza e Juazeiro do Norte, Brasil

Fotografia: Renato Bezerra de Mello