Sou taça de cristal lançada ao mar | 2004



Intimamente ligada à destruição da casa dos meus pais, no Recife, esta obra representa para mim um momento de ruptura e consequente de transformação. Os copos e taças, colecionados ao longo de 20 anos, foram quebrados durante a montagem da exposição, na presença exclusiva do curador e cinegrafista

  • cristal e vidro
  • dimensões variáveis
  • EXPOSIÇÕES: “Memórias heterogêneas”, Castelinho do Flamengo, Rio de Janeiro, Brasil

Fotografia: Wilton Montenegro