ALVOS DA VIOLÊNCIA ⏐ 2020-21



Desde 2009 venho desenhando, em diferentes suportes e composições, esses alvos da violência, impressionado pelo noticiário que anuncia as mortes pelas chamadas balas perdidas, que sabemos, atinge majoritariamente jovens pobres e negros. Nesta versão que ora apresento, comecei a contar – traço a traço – o número crescente de mortos por arma de fogo a cada ano no Brasil, seguindo os dados disponibilizados no Mapa da Violência, desde 2018.  Na apresentação da obra, os anos são embaralhados, e os números de mortos são percebidos na variação da dimensão de cada alvo, parcialmente visível, no manuseio e na transparência do papel.

 

  • tinta nanquim sobre caderno sem costura em papel oriental
  • 45 x 120 cm
  • EXPOSIÇÕES: “Que nosso nome não caia no esquecimento”, Galeria Anita Schwartz, Rio de Janeiro, Brasil

 

Fotografia: Gabriel Marigo